PEQUENOS-GRANDES HÁBITOS SAUDÁVEIS PARA UM NOVO ANO

Na correria do dia-a-dia, alguns valores se perderam. Os tempos mudaram, as pessoas trabalham mais, e comem o que for mais conveniente. Chegando em casa, esquentam o que quer que seja no micro-ondas – muitas vezes refeições congeladas que poupam tempo e trabalho – fora os que recebem a “comida” pronta pela janela do carro.

Cozinhar a própria refeição, para muitos, ficou em um passado distante. A maioria das avós do futuro não vai ter aquela casa cheia de guloseimas preparadas por ela mesma, com todo amor e carinho.

NAT3

Nesse Natal, ganhei o livro “Viver é Comer” escrito por James e Kay Salter. Esse casal de cozinheiros amadores reuniu no livro memórias pessoais, fatos históricos, receitas e muito mais. A vida deles ficou mais rica quando, sem nenhuma experiência, eles começaram a se aventurar na cozinha com a ajuda de livros de receitas. Com isso, começaram a reunir amigos para desfrutar de suas preparações e compartilhar esse momento tão especial que é a hora da refeição. Esses momentos foram registrados em cadernos, que eventualmente serviram como base para a criação do livro.

NAT5
Essa união que a gastronomia proporciona e que muito encanta, faz lembrar um dos meus autores preferidos: Michael Pollan. Defensor da alimentação natural, ele alega que a comida industrializada – vazia de conteúdo e história – tomou o lugar da cozinha tradicional, onde as pessoas se sentavam à mesa e desfrutavam de uma refeição preparada pelas mãos de alguém para aquela ocasião, fosse ela especial ou não.

unnamed (1)
Ser saudável vai muito além da alimentação. Acredito que a saúde seja uma junção da boa alimentação com o estado de espírito, como os pequenos momentos como compartilhar uma refeição com alguém querido, tentar fazer aquela receita de um livro que parece um bicho de sete cabeças e ficar delicioso  – caso contrário, dê gargalhadas e peça uma pizza – fazer um piquenique ao ar livre em um lindo lugar, plantar uma horta mesmo que seja em uma jardineira na janela de casa – com a alegria de vê-la crescer que é muito gratificante – ou qualquer outro gesto que te faça feliz, além de apenas priorizar os alimentos que te façam bem.

Por isso, cozinhe nesse novo ano, ou pelo menos tente. Se dê a chance de descobrir o prazer do preparo que uma refeição proporciona. Coloque como meta para esse ano que se inicia uma nova conscientização alimentar. Sente-se à mesa. Tente não comer sozinho. Coma devagar. Saboreie sua comida. Mastigue. Coma alimentos preparados por pessoas, não máquinas. Perceba a diferença dos alimentos frescos. Pequenos-grandes detalhes, que com certeza farão grande diferença no seu estado de saúde.

NAT1                                                                         HORTA ORGÂNICA DO HOTEL STANFORD INN, CALIFÓRNIA, 2014