OS SEGREDOS DA RECEITA DE 100 ANOS DOS TRADICIONAIS FIOS D´OVOS DA CAKE & CO

 

Os fios de ovos já tiveram vários batismos, desde seu nascimento que acredita-se ter ocorrido no Mosteiro de São Bento, em minha terrinha lusitana. Sou suspeita para falar de fios d´ovos, com a devida propriedade da portuguesa que sou. Já foram chamados de ovos em fio, ovos reais e ovos de aletria.

Fio d'ovos_Cake & Co

No entanto, mais adequado seria chamar os da Cake & Co de fios d´ouro, tamanha a relíquia que são os lá produzidos fiozinhos amarelos. São feitos uma vez por mês com esmero por uma equipe especial, na tradicional doceria do Rio de Janeiro. Os clássicos fios de ovos são os que sempre enfeitam as melhores mesas de Natal na cidade, arrancando suspiros de quem os prova. A novidade é que esse ano eles vieram em uma nova versão, abraçados em charmosos potinhos, para consumo próprio, ou presentear os que sejam dignos dessas verdadeiras jóias.

O interessante é que eles não são somente consumidos como enfeites ou coberturas de sobremesas, e sim degustados como a própria sobremesa principal, costume na família da dona do estabelecimento.

A receita icônica foi herdada pela propretária da doceria, Laura, e passada por uma cozinheira da fazenda da família, em Valença. Entre os segredos do passo a passo está a forma de se fazer a calda e o ponto ideal para que ela fique irresistível, delicada e deliciosa.

Fio d'ovos Mesa de Natal - Cake&Co

                                                                                                                                     FOTOS: CAROLINA AMORIM

Laura há muitos anos aporta aqui com produtos pra lá de especiais. Me lembro quando ainda adolescente, minha mãe me levava na casa de Laura uma vez por ano – quando o estabelecimento comercial ainda em existia – para pegar uma geléia de lavanda, feita com lavanda que ela trazia direto da Provance. Desde pequena com a tradicional mania de encarnar funcionário cartorário, batizei a geléia de “Geléia com gosto de França”. Realmente, lembro de quando a colher passeava pela minha boca levando a geléia, me levando a jato para uma viagem com os aromas daqueles campos lilás que povoavam a vida boa, em tempos em que a única obrigação era passar de ano sem ficar em recuperação.

Outra delícia que me surpreendeu esse ano na casa paraíso das delícias, foi a torta em formato de sino, linda de se ver e de comer, com nozes e baba-de-moça preparados à perfeição. Adoçar a vida lá fica fácil.

Gastroholic, cozinheira, empresária, ceramista e certificada em jornalismo gastronômico. Chef executiva do catering ARB atuante no setor hoteleiro - RJ. Leia mais